Sabesp pode adotar rodízio drástico de 5 dias sem água por semana

Medida será aplicada caso seja necessária a redução de vazão no Sistema Cantareira

27 de janeiro de 2015
publicado por
Natalia Rodrigues

Flickr / Leonardo da Silva A medida deve complementar outras ações tomadas, como a aplicação de multa e a diminuição da pressão da água.

Com as constantes quedas nos níveis dos reservatórios do Sistema Cantareira, a Sabesp poderá adotar rodízio com cinco dias sem água por semana. A medida “drástica”, como afirmou o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, será adotada somente em situação extrema.

Em visita a Suzano ao lado do governador Geraldo Alckmin, Yoshimoto afirmou que a medida complementa ações já adotadas, como redução da pressão e pedido de diminuição do consumo pela população, com aplicação de multa por aumento no gasto.

“Se nós tivermos que retirar somente 10, 12 metros cúbicos por segundo, seria necessário implantar rodízio de dois dias com água, cinco dias sem água. O equivalente a isso para ter uma economia necessária lá no Cantareira e não deixar que [o nível] continue caindo”, explicou o diretor em entrevista ao G1.

Para a implementar a medida, a Companhia depende da análise dos órgãos reguladores de recursos hídricos.  ”Se a Agência Nacional das Águas (ANA), o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), chegarem à conclusão nos seus estudos que a Sabesp tem que retirar muito menos do que ela está retirando do Cantareira, a solução no limite seria a implantação de um rodízio muito drástico”, explicou.

O diretor ressaltou que o que o ano hidrológico 2014/2015 está sendo mais crítico do que foi 2013/2014. “Nossa engenharia está correndo contra o relógio. Estamos batendo novos recordes de baixas precipitações”, disse Massato. Segundo ele, a Sabesp não pretende usar a terceira cota do volume morto do Sistema Cantareira.

Fonte: Portal G1