Aprenda a cultivar árvores frutíferas em vasos

Apartamentos e pequenos espaços também têm a chance do contato com a natureza através de árvores frutíferas em vasos

11 de setembro de 2013
publicado por
Redação

Seja para decoração da casa ou o contato direto com a natureza, degustação e apreciação, as árvores frutíferas plantadas em vaso são criadas por um grande número de moradores que não dispensam um jardim ou horta em seu dia a dia.

Árvore em vaso

Foto: clickobra

As miniárvores são delicadas e produzem frutos tão saborosos quanto os de uma árvore de tamanho convencional. As espécies dependem apenas de pequenas adaptações na varanda – ou em qualquer outro espaço de sua escolha. Em áreas um pouco maiores é possível até cultivar um mini pomar.

Para a implantação perfeita de uma miniárvore, a indicação é que o vaso tenha 80 cm de largura por 85 cm de profundidade. Para que a plantação não seja prejudicada, é indispensável impermeabilizar o vaso; lembrando que a terra não pode ser dura ou empedrada. O melhor a fazer é inserir pedrinhas e uma camada de argila ou argila expandida para a drenagem da água, o que contribui para saúde e desenvolvimento da raiz.

Alguns cuidados especiais na adubação fazem toda a diferença no resultado final do seu plantio. Os adubos com liberação lenta, ricos em fósforo, duram até três meses e são os mais indicados para as árvores frutíferas, e a inserção de terra vegetal e húmus de minhoca também auxilia. A rega é outro ponto primordial e precisa ser realizada três vezes durante a semana em quantidade razoável, sem deixar a terra encharcada. As mudas precisam de iluminação solar, e o mínimo indicado é de quatro horas ao dia. As espécies preferidas para cultivo são: acerola, pitanga, romã, jabuticaba, pêssego, limão siciliano, mirtilo, amora e cajá-manga.

Agora vamos ao passo a passo para o plantio superfácil de uma árvore frutífera em vaso. Acompanhe:

Material

Árvore frutífera

Foto: clickobra

- 1 muda de árvore frutífera (neste caso foi usada a Cerejeira do Rio Grande);

- Argila expandida;

- Terra vegetal;

- Cascalho pequeno;

- Vaso de terracota (seu tamanho deve ser proporcional ao tamanho da muda);

- Manta drenante;

- Pá.

Importante: a quantidade de terra, argila e cascalho vão depender do tamanho da muda e do vaso, mas a recomendação é comprar um saco de cada para futuras manutenções.

1º PASSO:

Coloque a manta drenante no fundo do vaso para a terra não escapar pelo dreno e também para permitir que a planta respire.

2º PASSO:

Cubra a manta drenante com a argila expandida. O recomendado é uma camada de cerca de cinco centímetros.

3º PASSO:

Sobre a argila expandida, coloque mais um pedaço da manta drenante.

4º PASSO:

Coloque uma camada de terra para que a raiz da muda fique na altura correta (o topo da muda, onde começa o caule, deve ficar a mais ou menos três centímetros da borda do vaso).

5º PASSO:

Remova cuidadosamente o plástico que envolve o torrão. Ele precisa ser mantido íntegro para que a raiz não seja prejudicada, o que pode atrapalhar o desenvolvimento da árvore.

6º PASSO:

Centralize a planta no vaso.

7º PASSO:

Complete os espaços com mais terra, mas não ultrapasse o colo do torrão, que é a região de transição entre o tronco e a raiz da planta.

8º PASSO:

Compacte a terra com as mãos até que a superfície fique uniforme.

9º PASSO:

Espalhe o cascalho ao redor da planta para fazer o acabamento.

10º PASSO:

Faça a primeira rega. Esta deve ser abundante para retirar as bolhas de ar e assentar o torrão.