Falamansa é premiado por ações socioambientais

Grupo de forró recebeu o Prêmio Benchmarking Pessoas por propagar a sustentabilidade por meio de músicas e ações.

8 de agosto de 2015
publicado por
Redação

Assessoria de Imprensa / Programa Benchmarking Brasil Tato conta que os integrantes estão sempre engajados em causas sociais.

Além de colocar muita gente para dançar, o Falamansa procura participar de ações sustentáveis e inserir em suas músicas alertas sobre cuidados com o meio ambiente. E estes foram alguns dos motivos pelos quais o grupo de forró recebeu o Prêmio Benchmarking Pessoas, uma homenagem feita a quem deixa um legado para as gerações futuras e inspira outras pessoas com atos e exemplos de vida.

Em 2007, o Falamansa lançou o DVD “Por um mundo melhor”, com duas músicas temáticas falando sobre as questões ambientais: “Segue a vida”, gravado no Rio Tiete, e “Lixo no Lixo”. “O nosso objetivo maior na banda desde o início sempre foi poder fazer o bem através da nossa música. Falamos de assuntos como fé, alegria, amor, motivação e superação e encontramos na sustentabilidade uma nova maneira de passar o bem adiante”, explica Tato, vocalista do grupo.

E a preocupação do grupo com o meio ambiente ultrapassa as letras das músicas. Em seus shows, os materias usados no cenário são reaproveitáveis. “Foram vários cenários de diversos materiais, como peças de bicicleta, guarda-chuvas velhos, buchas vegetais entre outros. Unimos o rústico das peças em cena com projeções de vídeo mapping”, conta Tato.

Vencedores do Grammy Latino 2014, na categoria Melhor Álbum de Músicas de Raízes Brasileiras, por conta do trabalho “Amigo velho”, os integrantes do Falamansa estão sempre engajados em causa ambientais. Tato conta que o grupo tem uma parceria com o projeto Tamar e está sempre organizando campanhas de divulgação que sejam voltadas à conscientização.

“Em 2008 e 2009 por exemplo, distribuímos sacolinhas de lixo nas praias de quatro estados brasileiros. Foram quase 700.000 sacolas no lugar do popular flyer que voa por aí emporcalhando as ruas e entupindo os bueiros”, comenta o vocalista. “A ideia de ser mais sustentável deve partir do princípio básico de fazer o bem ao próximo. Em qualquer profissão . E o próximo, entende-se também as próximas gerações”, completa.