Aplicativo ajuda a encontrar os catadores de recicláveis mais próximos

Programa visa aproximar os consumidores dos catadores de recicláveis, que são responsáveis pela coleta de 90% de todo material que é reciclado no país

15 de julho de 2017
publicado por
Redação

© Depositphotos.com / project1photo Ideia do aplicativo é garantir que os resíduos descartados tenham um destino correto.

Completando cinco anos de existência em 2017, o projeto Pimp My Carroça, que nasceu com a proposta de apoiar os catadores de lixo de diversas maneiras, tem crescido cada vez mais. Para comemorar o cumprimento de algumas metas, os organizadores da iniciativa estão preparando uma grande festa na cidade de São Paulo no Auditório do Ibirapuera no próximo sábado (15/07) e, em conjunto, o lançamento de uma nova plataforma para seu público.

Trata-se da criação do aplicativo Cataki, uma ferramenta que ajuda os moradores da capital paulista a encontrarem os catadores de recicláveis mais próximos à sua localização. Como bem definem seus desenvolvedores, o novo app é uma espécie de “Tinder da reciclagem”, já que faz a ligação entre materiais a serem corretamente descartados e os recicladores.

A ideia do Cataki é, basicamente, conectar os paulistanos com os catadores de lixo, assegurando que todo material recolhido tenha um destino sustentável. Para isso, o aplicativo, que será lançado durante a festa do dia 15, tem buscado interessados, com a intenção de que essas pessoas possam indicar catadores para fazer o registro no sistema.

Para estimular o cadastramento, o Cataki distribui uma série de prêmios para seus colaboradores, através de um sistema de pontuação que permite aos usuários do aplicativo fazerem a troca de pontos por recompensas. O cadastro de catadores pode render desde um adesivo do Pimp My Carroça até camisetas personalizadas da marca.

De acordo com o site do app, o Brasil conta com mais de 800 mil catadores, sendo estes responsáveis pela coleta de 90% de todo o volume de matéria que é reciclada no país. Vale destacar ainda que todo o processo é aberto e sem fins lucrativos, o que faz do projeto uma iniciativa visando o bem comum.

Para saber mais informações, acesse o site do Cataki.